17/02/2019

Roteiro de viagem: 7 dias no Uruguai

Oi, gente! Tudo bem? Fiz uma viagem de carro com a minha família para o Uruguai no ano passado (fomos em julho, por isso o roteiro tá mais voltado pra atrações de inverno) e acabei demorando para fazer algum post sobre ela... Decidi compartilhar com vocês o nosso roteiro de viagem por lá (fizemos quase tudo a pé, mesmo! Caminhamos como se não houvesse amanhã e vimos cada pedaço da cidade de pertinho). A maioria das atrações que listo aqui são gratuitas e valem muito a pena conferir - vale lembrar que coloco os dias da semana porque algumas atrações não abrem em determinados dias, sempre confira tudo antes de fechar seu roteiro! Espero que ajude quem esteja pensando em organizar uma viagem pra lá.

Primeiro dia (quinta-feira)


01. Teatro Solís
02. Peatonal Sarandí & Praça Constituição
03. Praça Independência
04. Librería Mas Puro Verso
05. Mercado del Puerto (opções para almoço, lojinhas de artesanato, souvenirs)
06. Playa de los Pocitos
07. Letrero Montevideo
08. Montevideo Shopping

Segundo dia (sexta-feira)


09. Estádio Centenário & Museu do Futebol (tem que pagar pra entrar)
10. Mercado Agrícola de Montevidéu 
11. Palácio Legislativo
12. Mirante da Torre Antel (verificar horários disponíveis no site)


Terceiro dia (sábado)


13. Rambla República Argentina
14. Memorial do Holocausto (ao ar livre)
15. Faro de Punta Brava
16. Punta Carretas Shopping


Quarto dia (domingo)


17. Feira Tristan Narvaja
18. Mercado Ferrando (espaço bem bonitinho com várias opções de almoço)
19. Feira do Parque Rodó 
20. Mirante da Intendência (verificar horários disponíveis no site)


Quinto dia (segunda-feira)


21. Colônia del Sacramento (Portão de Campo, Plaza Mayor, Calle de los Suspiros, Farol)


Sexto dia (terça-feira)

22. Jardim Botânico
23. El Rosedal
24. Jardim Japonês


Sétimo dia (quarta-feira)

25. Punta Ballena: Casapueblo
26. Punta del Este: Parador Los Dedos 



Espero que vocês gostem tanto quanto eu deste país cheio de coisas lindas, já quero voltar 💙🇺🇾 Beijos!

05/04/2018

Como fazer chá caseiro

Oi, gente! Tudo bem? Quem me conhece sabe que amo chá e bebo todos os dias! Faz algum tempo que aqui em casa passamos a consumir mais chás naturais, com as folhas secas das plantas, do que os de saquinhos que já vem prontos nas caixinhas. Gostamos dos dois tipos, mas o chá com as plantas secas fica muito mais concentrado e saboroso. Hoje vou contar pra vocês como minha mãe fez o chá caseiro de erva cidreira (mas serve pra vários sabores de chá).
 
Erva cidreira 
 
Temos um pé de erva cidreira no quintal de casa, mas já vi várias plantas boas pra fazer chá pra vender no mercado, em vasinhos, o que dá pra manter mesmo se você mora em apartamento! Deixa um cheiro super gostoso na casa e não ocupa muito espaço.
 
Erva cidreira  

O chá de erva cidreira (Cymbopogon citratus Stapf), é principalmente indicado para aliviar as cólicas menstruais. Tem também função diurética, auxilia quem está com tosse e melhora a qualidade do sono, trazendo mais tranquilidade.
 
Chá verde

Para fazer o seu chá caseiro é super simples:

1. Colha as folhas da planta (é bom usar as que já estão mais secas);
2. Lave-as e deixe-as escorrer num papel toalha;
3. Leve ao forno por cerca de 10min em 160ºC;
4. Espere esfriar e coloque num recipiente fechado.

Lembre-se de armazenar em um local seco e ao abrigo da luz, para conservar por mais tempo. 
 
Anis estrelado
 
Dessa maneira, fica mais fácil ter chá por mais tempo e aproveitar bem a planta. Não sei dizer exatamente o tempo de conservação porque aqui em casa consumimos relativamente rápido, mas acredito que dure bastante.
 
Combinação de chá verde, cavalinha, anis estrelado e erva cidreira
 
Você pode colocar o chá pronto puro ou misturado com outros chás direto no infusor ou também passá-lo num coador com filtro, se as folhas forem muito pequenas ou soltarem muito farelo. Depois é só acrescentar água quente e apreciar o seu chá.
Ah, como eu queria poder ter uma parede cheia de sabores diferentes de chá! Adoro fazer misturinhas novas e combinar os sabores. Aqui em casa os que mais usamos são: hortelã, chá verde, cidreira, hibisco, cavalinha e anis estrelado.
 
 Chá verde, cavalinha e erva cidreira 

Espero que o post tenha inspirado vocês a criarem os próprios chás em casa e se aventurarem nesse mundo mágico que é uma boa xícara de chá! ❤ Beijos.

05/03/2018

Diário de viagem: Praga (parte III)

Oi, gente! Tudo bem? Chegamos ao fim dos diários de viagem de Praga, na República Tcheca. Para quem perdeu os posts anteriores, vamos recapitular, rolou por aqui a primeira parte, a segunda parte, tudo sobre nosso hostel na cidade e também vídeo com o passeio completo! Hoje vou falar sobre nosso quarto e quinto dia (que foi o último, já que fomos embora pela tarde) por lá.
Nos organizamos para visitar dois parques emblemáticos e que marcam o horizonte da cidade nesse dia, saímos do hostel logo depois do café da manhã em direção ao Vítkov, que conta com essa estátua do cavalheiro que dá pra ver de vários pontos de Praga.
Preciso dizer que pra chegar lá tem uma ladeira bem considerável? Acho que vocês já sacaram que parque em Praga é sinônimo de morro... tudo pra gente chegar lá e ter essas vistas sensacionais e ficar cada vez mais apaixonado pela cidade!
O frio nesse dia estava intenso, desses de deixar o rosto e as mãos dormentes! Mas ainda assim o dia estava com umas aberturas de sol e bem bonito. O parque é bem tranquilo e aparentemente não é muito turístico, então aproveitamos a calmaria pra caminhar um pouco, observar a natureza, fazer fotos.
Saindo de lá, contornamos o rio Moldava em direção ao Letná Park, que abriga o Prague Metronome (e também é um marco que é possível observar de vários pontos da cidade). Subimos mais muitas escadas e ladeiras, caminhamos bastante pelo parque, vimos muitos passarinhos e claro, um panorama da cidade pra acompanhar.



Achei muito amor esse parque! Saímos dele bem na Čechův most, que dá no Josefov, o bairro judeu, e caminhamos um pouco por lá. Decidimos ir comer algo no shopping Palladium e ficamos tão encantados com a praça de alimentação que voltamos lá no dia seguinte (tem muita opção de restaurante e até restaurante estilo buffet, o que faz com que o prato saia mais barato - paguei 100CZK num prato bem ok - e dá pra escolher só o que você curte... além de ter um banheiro grátis - depois que a gente tem que pagar o tempo todo no frio pra fazer xixi a gente valoriza essas coisas haha).
Passamos no supermercado Albert, que tem dentro do Palladium mesmo, e compramos coisas pra levar pro hostel. Tínhamos até pensado em ir naquela famosa boate de cinco andares chamada Karlovy lázně de noite, mas acabamos desistindo da ideia porque o frio era muito e já estávamos ficando meio doentes.
No dia seguinte, acordamos um pouco mais tarde, organizamos as coisas, tomamos café no hostel e fizemos o check out. Caminhamos em direção ao Klementinum, um complexo histórico de edifícios construídos gradualmente ao longo dos séculos pelos jesuítas, tendo sido fundado em 1556 por iniciativa do rei Fernando I.
Pagamos 250CZK pelo tour guiado e valeu muito a pena. O lugar abrigou cientistas ilustres e foi palco para muitas descobertas astronômicas e meteorológicas. É uma pena que não possamos fotografar nada no interior durante a visita (principalmente a biblioteca barroca que é maravilhosa!), só no final, na parte da vista da cidade, da torre.
Esse foi nosso último passeio na cidade e encerramos com chave de ouro. O que vocês acharam desses diários de viagem? Gostariam de conhecer Praga? Já vou avisando: se forem organizar uma viagem pra lá, reservem pelo menos quatro dias pra conseguir ver tudo com calma. Eu já fiquei com vontade de voltar pra fazer outros tours pela República Tcheca Beijos.

04/03/2018

Diário de viagem: Praga (parte II)

Oi, gente. Tudo bem? O post de hoje é a segunda parte da série de diários de viagem de Praga, se você perdeu a primeira parte, clica aqui. Vale lembrar que já rolou post sobre o nosso hostel por lá e também vídeo completo sobre todo o passeio. No terceiro dia na cidade, tomamos café no hostel e fomos em direção a New Town Square, passamos pela Wenceslas Square e pelo Palác Lucerna.
Essa galeria do Palác Lucerna é muito interessante, tem um cinema japonês, essa escultura do cavalo virado ao contrário e tem toda uma arquitetura e visual muito diferentão. Como esse dia era um domingo, a cidade estava mais tranquila e foi mais legal de caminhar pelas ruas observando as coisas.
Nesse dia, as temperaturas abaixaram ainda mais e a sensação térmica estava congelante (mesmo com roupa térmica por baixo e bem encasacados, sofremos um pouco). Sempre que dava, caminhávamos no sol e parávamos um pouquinho pra descansar.
Caminhamos bastante pela Karlovo náměstí, que tem um parque e várias construções e monumentos interessantes ao redor. De lá fomos direto ver a Dancing House, um prédio de escritórios com arquitetura famosa e irreverente.
O prédio foi desenhado por Vlado Milunić, em cooperação com Frank Gehry em uma área na qual havia um prédio que foi destruído durante o Bombardeio de Praga, em 1945. A construção foi finalizada em 1996.
A região do prédio é super bonitinha e ficamos um tempo ali admirando o rio Moldava e as construções ao redor. Seguimos caminhando até o Vyšehradské sady, um parque mais ao sul da cidade, que claro, fica num morro com uma escadaria.
Chegando no parque, a primeira coisa que vemos é a Saint Peter & Paul Basilica, uma igreja neogótica, fundada em 1070-1080 pelo rei Vratislav II. A basílica sofreu um incêndio em 1249 e foi reconstruída em estilo gótico e depois, em estilo neogótico.
 
Caminhamos em direção a Galeria de Arte da fortaleza de Vyšehrad e depois até a Old Burgrave's Residence. A vista de lá é impressionante e o dia ajudou muito com esse céu bem azul.
 


Caminhamos bastante lá pelo parque, vimos outras construções e paramos um pouco nos banquinhos pra descansar. Se não estivesse tão gelado, seria perfeito pra um piquenique! Resolvemos voltar em direção a Wenceslas Square e encontramos sem querer um restaurante tcheco chamado Hlávkův dvůr e resolvemos entrar pra almoçar. Pedi um goulash (um prato tradicional de lá e também da Hungria) acompanhado de panquequinhas de batata e um mulled wine, estava tudo delicioso... mas já vou avisando: a comida é pesada, com bastante tempero. O prato saiu por 225CZK.
Ali perto fica o Monumento Franz Kafka e também o Franz Kafka Head (foto abaixo), então seguimos pra ver. Bem ali do lado tem um shopping chamado OC Quadrio e fomos entrar um pouco pra ver as lojinhas (e também aproveitar um lugar quentinho, claro). Do outro lado, tem um supermercado Tesco, passamos lá pra comprar algumas coisas pra comer no hostel mais tarde e encerramos nosso dia de peregrinação!
Bom, espero que tenham gostado de saber mais sobre nosso terceiro dia em Praga e fiquem ligados por aqui que em breve vai sair o post com nossos dois últimos dias por lá ❤ Beijos!

03/03/2018

Diário de viagem: Praga (parte I)

Oi, gente! Tudo bem? No último post que saiu aqui no blog, mostrei o vídeo com o nosso passeio por Praga, na República Tcheca e anteriormente, já havia falado sobre o hostel em que nos hospedamos por lá. Hoje vou contar um pouco mais sobre os nossos dois primeiros dias na cidade que fica na Europa Central, mas já se encaminhando pro leste europeu, na região da Boêmia. Ficamos encantados demais com a cidade, é muito organizada e bonita e tem muitos parques com vistas estratégicas e panorâmicas de tirar o fôlego.
Chegamos por lá perto do meio dia e fomos direto pro hostel deixar as coisas mais pesadas. Depois disso, fomos almoçar num restaurante perto da região que estávamos, chamado Remember Vietnamese Food, cada prato saiu em torno de 119CZK. De lá, seguimos pra região da Torre da Pólvora (que aparece na foto acima).
Apesar do frio, pegamos dias lindos e com muito sol em Praga (dias com sol são geralmente muito mais frios que dias nublados, mas o sol dá uma animada e esquenta um pouquinho). Seguimos nossa jornada até o Havelské tržiště Market, um mercadinho de rua bem fofo que está aberto todos os dias e vende vários souvenirs tradicionais, acessórios e algumas comidinhas também.
De lá, fomos para a Old Town Square, que tem várias construções imponentes e é um espaço super importante para a cidade. De lá, saem vários free tours guiados pra vários cantos da cidade, e até pra outras cidades próximas. A região estava bem lotada e é um ponto bem turístico. Ficamos um pouco decepcionados porque o Relógio Astronômico está todo fechado para reforma (esse relógio medieval é um ponto must see da cidade e mostra os doze apóstolos a cada virada de hora).
Lá também vimos o monumento Jan Hus, a Igreja da Nossa Senhora e a Igreja de São Nicolau. Depois, caminhamos em direção ao rio Moldava pra dar de cara com essa vista linda do Castelo de Praga e ver a Karlův most, a ponte mais famosa da cidade que tem uma torre logo na entrada. O fim de tarde estava muito bonito e gelado por lá, com vários pássaros sobrevoando o rio super calmo.
Essas composições das casas com esses telhadinhos, nessa arquitetura muito fofa, porém não muito rebuscada combinando com várias igrejas e torres elaboradas, várias pontes diferentes, o rio e o sol iluminando bem amarelinho dá uma sensação inexplicável. É muito incrível ver tudo isso de perto!
Caminhamos um pouquinho pelo bairro judeu na volta pro hostel, mas basicamente foi isso que fizemos no primeiro dia, porque estávamos bem cansados (visto que optamos por viajar de ônibus pra lá, saindo da Holanda). De noite, ainda saímos pra ir no mercado e comprar água e coisas pra fazer uma jantinha lá no hostel mesmo... e estava super frio, vimos que ficaria difícil fazer qualquer programação a noite pela cidade.
No segundo dia, tomamos café no hostel e seguimos caminhando direto pra Mánesův most, uma ponte vizinha a Karlův most. Na foto abaixo, dá pra ver aquela torre que mencionei na entrada da ponte que havíamos visto no dia anterior. Atravessamos pro outro lado da cidade e fomos subir a escadaria do castelo.
Não é fácil subir morro no frio intenso (e isso foi uma coisa que fizemos várias vezes por lá, já que a cidade tem quase todos os parques em lugares altos), mas a vista sempre compensa. Essa cidade é hipnotizadora, dá vontade só de ficar olhando pra esse horizonte cheio de detalhes e belezas.
O Castelo de Praga é uma das construções mais importantes da cidade e é na verdade um complexo com vários edifícios diferentes. Foi fundado no século IX, já foi habitado por reis da Boêmia e atualmente serve como a residência presidencial. Em seu interior encontra-se Catedral de S. Vito (foto abaixo), Palácio Real do Castelo de Praga, Torre Dalibor, Convento de São Jorge, Viela Dourada. Ele é considerado, conforme o Guinness World Records Book, o maior castelo do mundo!
Caminhamos bastante por lá e depois seguimos para Malá Strana para ver a torre e o famoso muro dedicado a John Lennon que acabou formando um movimento expressivo enquanto o país passava por tempos de censura. 
 
O muro é cheio de frases e desenhos, bem colorido e interessante. Passamos por lá, fizemos algumas fotos, fomos até uma pontezinha que tem ali perto, ficamos admirando o local... tudo tão bonitinho que acabei até esquecendo de filmar o muro pra mostrar no vídeo da viagem.
Paramos pra finalmente experimentar o Trdelník (tem barraquinhas e lojas vendendo por toda cidade) um doce tradicional de lá que é uma espécie de pão mais durinho e fino, coberto com açúcar que pode ser recheado com várias coisas ou comido puro. Eu pedi de pistache e o Filipe pediu de chocolate branco, ambos bem saborosos e saíram por 60CZK cada.
De lá, caminhamos até o parque Petřín, enfrentamos uma super subida mas vale muito a pena, porque a vista de lá é maravilhosa. O espaço é bem bonitinho e tem várias construções legais, como a torre e o mirror maze). Depois disso, voltamos descendo as ruas (muito fofas e cheias de construções antigas, lojinhas) nos arredores do castelo.
Pra converter pra euro os valores em coroas tchecas, multiplicávamos tudo por 0.04. Por exemplo, algo que custa 85CZK (o valor de um wrap no McDonalds, por exemplo), era €3.40.

Espero que tenham gostado de saber dos nossos dois primeiros dias (ou um dia e meio, já que no primeiro chegamos de tarde) na cidade! Me contem nos comentários qual a parte vocês mais gostaram e continuem acompanhando os posts por aqui ❤ Beijos!
 
Brilho de Aluguel © 2010 - 2019 | By Thayse Stein