21/05/2019

semeaduras

é minha mania
de não conseguir ver as coisas erradas
de deixar desavenças no caminho
de semear incompreensões
porque não sei me encaixar
porque não sei ignorar

é minha mania
de ser esponja e não filtro
de sentir demais a dor do mundo
de não entender indiferenças
porque não sei aceitar migalhas
porque não me contento com pouco

é minha mania
de só saber bem o que não quero
de ler auras despedaçadas
de ter uma intuição afiada
porque não sei ser conivente
porque não sei como não pensar

tenho sede demais e nada parece suficiente
exijo demais de mim e da vida?
dinheiro acaba, juventude é superestimada
é muita pressão pra produzir, ser alguém
mas eu não sou nada, então?

tanta coisa produzida não vale nada
é só mais uma campanha de estação
tudo é comercial, vendemos nossas horas
vendemos nossos dias e anos
para comprar o que já é nosso

só aceitaremos as coisas e diremos sim?
só veremos o mundo pelo mesmo caminho?

deixamos os dias lá fora, presos em salas
só nos resta a escuridão e o cansaço
abdicamos do ar livre e nos condicionamos
aprendemos a nos medicar e controlar
trabalhamos para ser o corpo de outrém

toda necessidade nos cega para o além
primeiro precisamos acertar as contas
pra depois pensar sobre elas
mas elas não param de chegar
e simplesmente não sabemos como sair

nos afundamos na pilha dos papeis
nos agarramos às burocracias
nos afogaremos sonhando com outra vida


19/03/2019
 
Brilho de Aluguel © 2010 - 2019 | By Thayse Stein